Let's go out tonight!

14/07/2012 12:04

           

 

                Ontem saí pela primeira vez para uma boate aqui. Fomos de carro eu e o Peter para um bairro chamado Ybor, nele há uma rua onde ficam situados todos os tipos de bares( héteros, gays, anões da Branca de neve...). Lá encontramos três amigos do Peter(Frank,Shon e Denny), os quais foram super simpáticos e legais comigo. Entramos na fila que dava acesso ao estabelecimento e ficamos esperando. Aqui eles pedem a identidade de todas as pessoas que vão entrar no estabelecimento, a fiscalização é super rígida, pois menores de 21 anos aqui não podem consumir bebida alcoólica, mas pode adentrar no club e para diferenciar as pessoas maiores das menores de 21 ano, eles colocam pulseira com cores diferentes nos clientes. Na hora de comprar bebida, o barman pede para ver a sua pulseira antes de te dar o seu drink, tudo para confirmar se você é "de maior" (alô galera do Jurunãaaas). Na minha vez de entrar, eles pediram a minha ID, eu mostre a do Brasil e o cara da portaria perguntou onde estava o meu passaporte e eu falei que estava no lugar onde eu estava hospedado, pois tinha esquecido, ele resistiu um pouco pra deixar eu entrar, pediu pra ver se eu tinha cartão de crédito, eu mostrei o meu cartão (do "bolsa família" hahahahah) e ele me deixou entrar. Ufa passei um aperto legal, já pensou se eles me barram logo na minha primeira saída noturna? Bem, mas graças ao meu bom charme brasileiro isso não aconteceu.

            Dentro da boate tudo parecia muito familiar. Eu acho que as boates são que nem mãe, todas inguais, só mudam de endereço. Não se iludam que nem eu me iludia, achando que eu ia chegar aqui e só iria ver gente loira, bonita, dos olhos claros e corpo malhado. As pessoas são normais aqui, lógico que o biotipo é diferente, mas não tem nada de beleza exagerada. Bebi bastante, pois haviamos chegado bem na hora do Happy Hour, onde tomei vários "bons drink". Depois de ums 45 minutos nós saímos e fomos para uma outra boate do outro lado da rua, onde haviam vários shown de transformistas, super clássicos, dublando divinamente músicas de divas internacionais. Senti falta do batidão de cabelo no estilo Léo Aquilla.

            Ficamos nessa de entra e saí de boate várias vezes. fomos em quatro boates diferentes. O legal daqui é que se vc entra em uma boate e eles colocam a pulseira em você, a pessoa tem direito de entrar e e sair do espaço quantas vezes quiser.

            A Noite foi super divertida e eu pude perceber que o meu inglês fica muito mais fluente quando estou bêbado. Nossa, falava como um americano residente dos EUA haiuhaiauhiauhaiuahiauh.

            Depois de várias horas passadas, fui ao balcão do bar comprar o meu último drink da noite, já tava quase fazendo a linha Luiza Marilac de tanto "bons drink " que já havia consumido, foi quando um cara se aproximou de mim e pediu pra me conhecer, seu nome é Dustin. Ficamos conversando e quando eu disse que era brasileiro, nossa ele arregalou os olhos e deu um sorrisão, me levou pro grupo de amigos dele e me apresentou para todos, eram umas nove pessoas. Todos ficaram me dando muita atenção, me bajulando e foi muito legal. Eu pensava que o preconceito com os brasileiros aqui era mais visível, mas até agora só tive boas vindas dos americanos.

            Na hora de voltar pra casa eu peguei uma carona com o Frank e o Denny, viemos conversando e foi bem legal. Desci do carro, disse um bom e sonoro BOA NOITE, e agradeci pela noite maravilhosa que tive. Enfim, as coisas estão indo bem e eu espero que continuem assim.

 

Agora vou indo galera, Até mais!

 

           

.

Enquete

Você acha que o artista tem o poder de mudar o mundo com a artes que faz?

Sim (63)
Não (2)

Total de votos: 65

Contato

Caled Garcês Twitter: @CaledGarces
Facebook: facebook.com/Caled.Garces

caled_garces@hotmail.com